Search

5 fatos que todo Videomaker deveria saber

A verdade sobre trabalhar no Audiovisual



Ser um videomaker definitivamente não é tarefa fácil. Entre um job e outro, sempre nos perguntamos se estamos fazendo a coisa certa ou não. Tecnicamente, cada profissional tem a sua maneira de trabalhar, o tipo de vídeo de sua preferência e uma coisa em comum: a vontade de fazer vídeos cada vez melhores e se destacar no mercado. Porém, para esse sonho se tornar realidade, é preciso refletir sobre algumas verdades que vamos encontrar pelo caminho. Estar atento e saber lidar com elas é fundamental para que tenhamos sucesso nessa profissão.


1. Nem sempre um videomaker faz trabalhos super legais.


Veja bem, eu não disse que um videomaker sempre vai fazer trabalhos chatos, mas sim que existem diversos tipos de vídeos diferentes e nem todos despertam o nosso melhor lado. Eu adoro a liberdade criativa que um fashion film ou um videoclipe me dão, por exemplo. A liberdade de poder utilizar uma trilha sonora diferente ou aquele efeito que parece que foi feito para aquele clipe. Porém, nem tudo são flores e, na maioria das vezes, é o trabalho “chato” quem paga as contas, principalmente quando o videomaker não possui um nicho de mercado definido e produz de tudo um pouco. Mas o critério sobre o que é um vídeo legal ou vídeo chato é muito pessoal.


Nunca me esqueço da semana fatídica onde acompanhei “literalmente” Lewis Hamilton em seus compromissos publicitários pelo Palácio Tangará, em São Paulo, antes das entrevistas coletivas para os GPs de 2018 e 2019 de Formula 1 e na semana seguinte estava filmando os belíssimos vasos sanitários (!) do vestiário novo de uma empresa cliente. #TrueStory

Então não alimente a falsa expectativa de que a vida do videomaker é realmente uma festa. A não ser que você trabalhe com eventos, muitos vasos sanitários virão pela frente.


2. O sucesso de um videomaker não deve ser medido pelo sucesso do outro.


Cada profissional tem sua trajetória, cada pessoa teve uma experiência de vida diferente dentro e fora do audiovisual e isso nos diz muito o porque um profissional fez sucesso tão cedo e o outro demorou um pouco mais (o que não faz dele um profissional ruim, apenas no tempo que deveria ser).


Cada vez mais cedo, crianças e adolescentes têm mais e mais contato com câmeras e aplicativos de edição, o que nos faz pensar que o interesse delas pelo audiovisual desperta mais rápido do que as gerações anteriores. Portanto, a probabilidade de surgir um bom profissional do audiovisual lá pelos seus vinte e poucos anos é grande. Isso sem contar a facilidade de se conectar com pessoas da área e o consumo de conteúdos educativos em plataformas como o Youtube que os anos 2010 nos proporcionam, por exemplo.


Portanto, saiba reconhecer e respeitar o seu momento e o momento dos outros profissionais, seja ele quem for, pois, ninguém nasce sabendo fazer vídeos magníficos e, para chegar até um determinado nível de excelência, é preciso muito suor e dedicação.


3. Um videomaker não precisa trabalhar até de madrugada.


Acredite! É possível ter tempo de limpar o cocô do cachorro ou fazer seu próprio almoço trabalhando com vídeo (!). É comum encontrarmos, principalmente nas redes sociais (leia-se Instagram) o estereótipo do “editor das madrugadas”, que é inimigo do sono e enche a cara de energético.


É comprovado cientificamente que adultos entre 18 e 64 anos devem dormir pelo menos de 7 a 9 horas por noite para que as coisas não comecem a sair dos eixos e, para que isso aconteça, é preciso se dedicar a duas coisas um pouco complexas, mas fundamentais, na vida do videomaker: a ORGANIZAÇÃO e o PLANEJAMENTO. Somente eles vão te garantir boas noites de sono e dias seguintes mais produtivos. Trabalhar em três períodos e, ainda assim, ir dormir tarde, vai deixando seus vídeos menos atrativos pouco a pouco.


Planeje suas produções e edições, organize-se e aproveite melhor a sua disposição no dia-a-dia, transformando-as em uma produtividade cada vez maior. O resultado disso você verá na qualidade dos seus vídeos.


4. Não existe vídeo perfeito.


O que faz um vídeo ser bom ou ruim é algo muito pessoal e o que é bom para mim, pode não ser tão bom para você. Diariamente, somos bombardeados nas redes sociais por vídeos (e videomakers) “perfeitos” e, naturalmente, os comparamos com os nossos trabalhos, muitas vezes deixando de publicar em nossos portfólios por não acharmos que está no padrão de mercado. Aí está um grande erro!


Aceitar nossos erros e aprender com eles é fundamental para o sucesso. Sempre bato na tecla em meus vídeos no Youtube que, de nada adianta uma ideia se ela não se transformar em produção e de nada adianta uma produção se ela não for divulgada para o mundo. No caso dos nossos vídeos para portfólio, tão importante quanto publicar um vídeo em nossas redes, é aprender com os erros e fazer com que os próximos sejam ainda melhores.

Soa clichê, eu sei, mas os únicos vídeos que podem ser comparados com os seus, são os seus próprios vídeos postados anteriormente. Olhar para trás e ver a sua própria evolução através de trabalhos postados é um exercício ótimo de autocrítica e busca pela melhora constante.


5. Um videomaker não consegue abraçar o mundo.


Roteiro, fotografia, captação, direção, edição e finalização. É possível um videomaker fazer todo esse trabalho? A resposta é SIM. Porém, quando passamos a nos dedicar a muitas coisas de uma vez, a probabilidade de falharmos em alguma passa a ser considerada e, quando ela acontece, interfere muito na qualidade do produto final. Por isso, é importante envolver mais profissionais no projeto (quando possível, é claro), seja um assistente de câmera, um roteirista ou um diretor de cena.


Lembre-se: Uma produção audiovisual sempre vai funcionar melhor em equipe. É fato que nem toda produção terá a verba suficiente para que todos esses profissionais sejam contratados, mas, em muitas ocasiões, é melhor deixar de lucrar uma certa quantia e dedicá-la à contratação de mais um integrante para a equipe do que tentar abraçar o mundo e colocar em risco toda a qualidade de uma produção.


Se atentou a esses fatos e está decidido a se tornar um Videomaker?


Então corra para o meu canal no Youtube, onde você vai encontrar muitas Dicas e Tutoriais de produção e edição de vídeo, Making Ofs, onde eu mostro todo o processo de produção de alguns dos meus vídeos e um conteúdo que vai te ajudar a ser um videomaker melhor.




25 views0 comments